Procurar

+
Inteligência financeira na compra do carro

Você sabia que em 2006 era possível comprar um carro popular que custava aproximadamente 24 mil reais gastando 69 salários mínimos? Já em 2016, 10 anos mais tarde, o valor do carro era aproximadamente 35 mil reais e era possível comprá-lo utilizando o equivalente a 40 salários mínimos. Isso aconteceu porque os preços dos carros não acompanharam a inflação. Isso é outra forma de dizer que os carros, principalmente os carros semi-novos, ficaram relativamente mais baratos nos últimos dez anos. O mesmo carro do exemplo custaria aproximadamente 41,5 mil reais se tivesse sido corrigido pela inflação.

Tá. Os carros subiram menos que a inflação. E o que isso importa?

Importa quando você decide comprar um carro agora e pagá-lo depois, fazendo um financiamento. Isso acontece quando a sua ansiedade não aguenta esperar para ter o carro novo. Mas para não admitir isso, você decide usar a desculpa de que o valor do carro irá subir no futuro e por isso não vale a pena esperar para comprá-lo em 4 anos, mas nem mesmo esta desculpa procede. Se você optasse por pagar pelo carro antes para tê-lo depois, ou seja, resolvesse poupar e investir o seu dinheiro em algum produto financeiro que apenas acompanhasse a inflação você já sairia ganhando. Imagina então se colocasse seu dinheiro em um investimento que rende acima da inflação? Você não só não perderia dinheiro com juros jogados fora como também teria um carro novo e quitado.

O oposto acontece com quem opta pelo financiamento: paga juros ao invés de receber e ao final do pagamento tem não só um carro 4 anos mais velho como também um bem que vale a metade do valor que foi pago. E essa pessoa não aproveitou o fato de, no Brasil, um produto muito comprado pelo brasileiro subir menos que a inflação, o imposto que todos nós pagamos sem perceber.

Nossa, pisou na bola mesmo!

Calma. Pode ser ainda pior.

Se essa mesma pessoa resolver trocar de carro novamente fazendo um novo financiamento e dando o carro usado como entrada, vai perder ainda mais dinheiro, pois a depreciação será ainda muito maior. É o preço que ela paga por novamente não querer esperar para tentar vender o seu carro ela mesma, conseguindo um valor melhor. Não bastasse ter prejuízo uma vez, ela resolve perder dinheiro novamente e poderá ficar nesse ciclo de empobrecimento por vários anos se não resolver desenvolver a sua inteligência financeira.

Outro ponto importante é se essa pessoa comprar sempre carro zero. Lembra que o preço dos carros semi-novos subiu menos que a inflação? Pois é. O preço dos carros novos acompanhou a inflação. Além disso, ao comprar um carro novo você sempre estará assumindo a desvalorização inicial, que costuma ser muito maior. Ao sair com o seu carro zero da concessionária você já desvalorizará o seu bem em 10 a 15%. Não parece um negócio muito bom, não é mesmo? Por outro lado, se você comprar um carro semi-novo, com baixa quilometragem, deixará que outra pessoa faça isso por você.

Percebeu a importância de ser consciente e ter inteligência na hora de comprar um carro? Espero que este conhecimento te ajude daqui para a frente.

Se você quiser desenvolver mais a sua consciência financeira, te convido a participar do Grupo de Inteligência Financeira. Um curso presencial em nossa escola, em Santa Maria, RS. Os cuidados na hora de comprar um carro estão inseridos no módulo 5, chamado “O custo da ignorância financeira”.

 

Espero te encontrar lá! Um abraço e que Deus te abençoe!

Luciano Fernandes, Sócio-Fundador da Escola do Coach e mentor no Grupo de Inteligência Financeira

Publicado em:Coaching Financeiro

Comentários (Sem respostas )

Não há comentários até o momento.

Deixe uma resposta