Procurar

+
Ressentimento ou novos sentimentos?

E ele insistia em me dizer que eu nunca conseguiria… Olhei pro lado e confirmei o quanto o passado era sombrio e injusto; por isso mesmo decidi caminhar sem ele no daqui pra frente… Vou ali e não volto… Vou ser quem ele me disse que jamais seria. 👣

Difícil encontrar alguém que não tenha que superar algo. Pode ser um trauma, algo forte que tenha acontecido: um acidente, uma perda, um abandono, uma falta, uma dor intensa. E, infelizmente, não é difícil encontrar pessoas que não conseguem superar tal sofrimento.

Vou repetir, só que em outras palavras:

Muitas pessoas precisam superar algo do passado, poucas, porém, conseguem fazê-lo. Algumas, no entanto, acreditam que superaram, mas, em algum momento da vida, esse passado vêm à tona, ainda que mascarado. Mas antes que você encerre a leitura por estar achando este texto um tanto quanto confuso, fiquemos com a primeira frase deste capítulo. Esta:

Muitas pessoas precisam superar algo do passado, poucas, porém, conseguem fazê-lo.

Bom, sobre esta frase destaque poderíamos conversar por horas… Poderíamos fazer uma reflexão bem aprofundada sobre tudo o que ela representa e as consequências que gera na vida de qualquer pessoa que se identifique com ela.

Mas meu objetivo aqui é que você leia este artigo até o fim e, com toda a minha humildade, peço licença para dizer que desejo que aprenda algo com ele. Por quê? Porque dizem que quando aprendemos algo, mudamos. Sim, a prova de que realmente aprendemos alguma coisa é a mudança (seja ela qual for) em nossa vida.

Bom, se você deseja alguma mudança em relação à relação do seu passado/presente/futuro (com o perdão do trocadilho), vamos à única instrução deste texto, e vamos direto ao ponto:

Decida “romper” com seu passado

Não digo romper no sentido de negá-lo, ofendê-lo, rejeitá-lo, esquecê-lo ou, muito menos, afastar-se das pessoas que viveram neste seu passado (embora, em alguns casos possa até ser necessário).

Pelo contrário, é benéfico, para nós, que sejamos gratos por tudo o que vivemos. Ainda que seu passado tenha sido difícil, você pode agradecer por tudo o que aprendeu com ele e, pela força que ele obrigou você a desenvolver.

Mas, então, o que significa esse “romper”? (Você deve estar se perguntando).

Explico, explico… Estou falando de perdão. Perdão? Sim. Quando há perdão, há cura. Normalmente relacionamos perdão a pessoas, mas ele pode estar relacionado a contextos de vida. De excesso ou falta de alguma coisa. Quando você perdoa a sua história, você deixa de carregá-la nos ombros. Você se distancia do peso e consegue ver com mais clareza (e leveza) aquilo que foi bom. Lembra do que falamos sobre gratidão? Pois é, quando há perdão fica muito mais fácil sermos gratos.

Dessa maneira, você rompe com o ressentimento. Repare na palavra: re-sentimento, sentir novamente. Você deixa de alimentar esse sentimento ruim. Logo, ele vai enfraquecendo… diminuindo… e dando espaço para outros sentimentos, novos sentimentos.

Como você deve ter entendido, é um processo. Mas um processo que começa com uma decisão.

Há quem diga que, no fim das contas, quem perdoa é quem se dá melhor! Eu concordo.

Ressentimento ou novos sentimentos?

Hoje, você pode decidir manter o processo de ressentir (que talvez você já conheça muito bem) ou iniciar um novo processo surpreendente, muito, muito mais benéfico e vantajoso para você!

Um beijo… fiquem com Deus!

Nanda Fernandes

Publicado em:Coaching

Comentários (Sem respostas )

Não há comentários até o momento.

Deixe uma resposta